Como Pensar “Fora da Caixa”

Então, te pediram pra pensar fora da caixa no trabalho, ou você quer ter uma ideia muito criativa para o seu novo romance? Não se preocupe! Pensar fora da caixa, assim como com qualquer habilidade, pode ser desenvolvida através da prática. Esse texto foi desenvolvido em 3 partes, então para começar a desenvolver suas habilidades de pensamento criativo, comece lendo o Passo 1 e vá até a parte 3. Esperamos que o texto te ajude de alguma maneira. Então let’s go.

Parte 1 – Criando Soluções Criativas

1 – Mude seu espaço.

É importante ficar longe de todas rotinas típicas para poder incentivar a criatividade. A ideia de mudar é muito comum entre os pensadores criativos e de sucesso. Isso significa que, ou você cria um ritual específico para a criatividade, ou você simplesmente encontra uma forma de fazer uma pausa.[1]

  • Tome um banho. Tem algo estranhamente conducente no banho, já que todos já tivemos aquela ideia brilhante enquanto estávamos no chuveiro (mas acabamos esquecendo enquanto procurávamos caneta e papel). Se você estiver preso com uma ideia, vá para o chuveiro, pegue um papel e uma caneta e veja o que acontece.
  • Saia para um passeio. Assim como o banho, tem algo no ato de caminhar que fomenta a criatividade. Quer seja caminhar como prelúdio para o início do seu projeto criativo, ou como parte do projeto em si, caminhar ajudará você a fazer a criatividade fluir. Steve Jobs costumava ter reuniões em caminhadas para gerar ideias. Tchaikovsky andava várias vezes ao redor da sua vila antes de trabalhar em sua última criação.
  • Crie uma distância psicológica entre sua rotina normal e a hora da criatividade. A escritora Toni Morrison sempre assistia o sol nascer todas as manhãs antes de começar a escrever. Ela sentia que isso a ajudava a acessar sua criatividade.

2 – Faça Brainstorm.

Lançar diversas ideias diferentes, especialmente aquelas que parecem um pouco exageradas, ou fora do contexto pode ser uma ótima forma de escolher algumas ideias bem legais. O Brainstorming ajuda a abrir o seu pensamento, assim você não fica preso na mesma mentalidade antiga e nos mesmos padrões de pensamento.[2]

  • A fase de brainstorming não tem a ver com o que é ou não possível fazer. Evite limitar-se quando estiver fazendo o brainstorming. Esse é o momento em que todas as ideias são bem-vindas, não importa o quão bobas, ou impraticáveis sejam. Se você começar a se limitar nesta fase do projeto de pensamento, você não progredirá muito.
  • Evite dizer coisas para você durante esta fase que irão reprimir sua criatividade, em vez de encorajá-la. Policie-se quando disser: “Isso não vai funcionar”, “Já fizemos assim antes e não funcionou”, “Não podemos resolver este problema”, “Não temos tempo o suficiente”.[3]
  • Por exemplo: digamos que você fique empacado enquanto escreve sua nova história. Em vez de ficar obcecado com a próxima fase dela, comece a lançar ideias do que pode acontecer depois, ou como a história pode progredir se não houvesse limites do que você poderia escrever (mesmo que você precise mudar o final da história para deixá-la plausível).

3 – Conceitualize novamente o problema.

Parte daquilo que é encontrar soluções e ideias criativas vem da observação do problema ou projeto através de um novo ângulo. Olhar algum de uma forma nova permite que você veja todas as novas soluções que, do contrário, não teriam sido consideradas. Por sorte, existem alguns auxiliares neste processo de conceitualização.[4][5]

  • Vire o problema de cabeça para baixo. Isso pode ser feito tanto literalmente, quanto figurativamente; virar uma imagem de cabeça para baixo pode, na verdade, deixá-la mais fácil de desenhar, porque o seu cérebro precisa olhá-la como formas, em vez de pensar no que realmente está ali. Isso funciona mais com problemas conceituais.
  • Por exemplo, se você estivesse escrevendo um livro e não soubesse como guiar o protagonista até um certo ponto da história, pergunte-se “O personagem realmente precisa ser o protagonista? Como essa história funcionaria com um personagem diferente enquanto protagonista? Ou com mais de um personagem?”.
  • Trabalhe de trás para frente. Às vezes, você precisa se concentrar na solução primeiro, e fazer o processo inverso a partir dela. Por exemplo: digamos que você trabalhe na publicidade de um jornal. Ele está perdendo dinheiro porque não tem recebido anúncios suficientes. Comece do final, do melhor resultado (ter vários anúncios bons). Trabalhe de trás para frente entrando em contato com os tipos de negócios e grupos que possam lhe dar os anúncios com melhor custo-benefício.

4 – Sonhe acordado.

Sonhar acordado ajuda você a criar conexões e formar padrões e a relembrar informações. Este é o segredo quando se está tentando pensar fora da caixa, porque sonhar acordado pode ajudar você a criar conexões que do contrário não teriam sido consideradas. Então, muitas vezes, suas melhores ideias parecem vir do nada, enquanto você está sonhando acordado.[6]

  • Dê a si mesmo tempo para sonhar acordado. Desligue o computador, TV e seu celular. Se você estiver constantemente ligado nestas distrações, será muito mais difícil para o seu cérebro descansar e criar conexões.
  • Você pode sonhar acordado enquanto caminha, ou durante o banho (esse é um dos motivos que explica porque reservar um tempo para caminhar, ou tomar um banho pode ser tão conducente ao pensamento criativo). Sonhe acordado pela manhã, antes de levantar, ou a noite, antes de dormir.

5 – Defina parâmetros.

Às vezes, se você está tendo problemas em pensar fora da caixa, é hora de dar a si mesmo alguns parâmetros básicos. Pode parecer que isso minará a sua criatividade, mas se você definir os parâmetros corretos descobrirá que na verdade as coisas podem se abrir para você.[7]

  • Começar grande demais pode colocar uma pressão extrema em você. Por exemplo: em vez de dizer “Como eu consigo aumentar as vendas de propaganda?”, faça perguntas do tipo “Como eu posso incentivar o crescimento das propagandas dos estabelecimentos da comunidade? O que eu posso fazer para mostrar que as propagandas em nosso jornal são uma boa opção?”, ou “Como eu posso identificar os negócios com maior probabilidade de colocar anúncios em nosso jornal?”, ou “Ou, quais benefícios eu posso usar para incentivar as empresas a fazerem publicidade conosco?”
  • Você ainda está fazendo perguntas abertas e ainda está considerando uma ampla variedade de opções, mas está ancorando suas ideias a uma questão, ou tarefa específica. Isso ajudará você a criar mais ideias específicas.
  • Outro exemplo: em vez de se perguntar “Como eu posso fazer um romance para jovens adultos diferente de todos os demais existentes no mercado?”, você considera partes mais específicas da história: “Quem é o personagem principal? Ele é como todo outro personagem principal (branco, heterossexual, bonito, mas não sabe disso?)?”, ou se for um romance de fantasia “Como é o sistema de magias? É o tipo de magia vagamente pagão que aparece nas revistas para adolescentes?”
  • Ou, você pode dizer a si mesmo que precisa reescrever uma cena na sua história apenas agora que o personagem não tem acesso a mágica. Como ele vai sair da situação?

6 – Considere o pior caso.

O medo é o que retrai a criatividade. Ele é que faz você permanecer nos caminhos que conhece melhor. Quando se considera o pior caso, você não apenas se planeja para ele, mas também pode se convencer que esse caso nem é tão ruim a ponto de você não querer tentá-lo.

  • Para o exemplo da publicidade: você pode levar em conta o que acontecerá se você tentar implementar um novo esquema criativo para oferecer incentivos para parceiros de propaganda a longo prazo (melhor posicionamento no layout, anúncios coloridos a preço reduzido, etc). Talvez, o pior que pode acontecer é que ninguém aceitará a oferta, o que você perca dinheiro por conta disso. Crie planos para lidar com esses potenciais contratempos.
  • Para o exemplo do romance: seu pior caso pode ser que nenhuma editora, ou agente queira vender seu romance porque na verdade é um clone do último best-seller para adolescentes.

Parte 2 – Mantendo Sua Criatividade a Longo Prazo

1 – Elimine a negatividade.

A coisa que mais lhe impedirá de pensar fora da caixa é a negatividade. Ficar dizendo a si mesmo constantemente que você não pode pensar criativamente, ou vetar cada ideia que você tem porque é “exagerada” demais, irá limitar severamente o seu pensamento.[8]

  • Considere o que você diz a si mesmo sobre suas ideias. Quando você cria aquela ideia maravilhosa, você pensa imediatamente “Eu nunca conseguiria escrever isso!”. Esta é uma forma infalível de conseguir jamais escrever sua ideia.
  • Sempre que você se vir respondendo negativamente a suas ideias, substitua esse pensamento negativo por um positivo, ou neutro. Por exemplo: se você se pegar pensando “Eu jamais vou conseguir incentivar os anunciantes com esses incentivos”, pare e diga “Eu vou testar como esses incentivos podem nos conseguir uma melhor fidelização na publicidade.”

2 – Mantenha sua criatividade afiada.

Assim como com qualquer habilidade, a criatividade precisa ser exercitada para continuar existindo. Mesmo que você não tenha um problema em particular que precise da sua solução criativa, continue trabalhando em sua criatividade. Isso ajudará quando você for confrontado subitamente com algo que precise de uma solução criativa.[9]

  • Alfabetize as palavras. Pegue uma palavra de uma revista, ou outdoor e ponha as letras em ordem alfabética. Por exemplo: a palavra NÚMERO ficaria E-N-M-O-R-U-Ú. O motivo é que esse exercício aumenta a função do cérebro ao forçar você a usar todas as informações que você tem (todas as letras) e fazer algo incomum com ela. Esse exercício treina seu cérebro para criar conexões e soluções surpreendente ao olhar diferentemente para os problemas.
  • Faça um jogo em que você tenha que criar formas de usar novas ou diferentes para vários objetos na sua casa. Isso ensinará você a olhar os itens e situações com um olhar inusitado. Por exemplo: usar uma boa velha como vaso de plantas, ou fazer uma mesa com livros.

3 – Mude sua rotina.

A criatividade tem sucesso quando você não fica preso na mesma rotina antiga. Mesmo as menores mudanças têm boas consequências no tocante a tirar você da rotina e incentivar o pensamento criativo.[10]

  • Saia da sua zona de conforto. Fazer coisas novas, especialmente coisas que você não planejou ajuda você a lidar melhor com as novas situações. Além disso, ajuda a abrir a sua mente e introduzir a você novas ideias e situações que podem ajudar a criar ideias novas, ou inusitadas.
  • Seja espontâneo. Faça coisas que você não planejou, ocasionalmente. Isso forçará você a se adaptar ao momento e a superar os problemas na hora que eles aparecerem. Você pode até mesmo mesclar isso com um projeto em execução.
  • Mude pequenas coisas. Por exemplo: caminhe para casa usando rotas diferentes, todos os dias. Mude sempre a cafeteria em que você vai pela manhã.

4 – Estude outra indústria.

Isso ajudará você a mostrar como as pessoas de fora do seu campo de atuação operam e lhe dará ideias que você pode incorporar nos eu trabalho. A indústria pode ser completamente diferente da sua, ou ter algo compartilhado com a sua, mas deve ser diferente o bastante para lhe dar uma nova perspectiva.

  • Por exemplo: a pessoa da publicidade pode dar uma olhada em tópicos de psicologia, ou olhar como é a operação do tipo de negócio que será anunciado.
  • O romancista pode precisar ler coisas fora do campo dele (romances adolescentes), como não-ficção, mistérios e os clássicos para ter inspiração.

5 – Aprenda coisas novas.

Quanto mais você amplia seus horizontes, mais conexões seu cérebro consegue fazer. Quanto mais informações seu cérebro puder acessar, mas ele é capaz de criar ideias inusitadas.

  • Faça aulas fora da sua área. Pode ser qualquer aula, desde aulas de culinária (contanto que você não seja um chef), ou rapel. O romancista pode então usar o que aprendeu em suas aulas de culinária para criar um sistema de magia (as pessoas precisam sentir o que estão fazendo e não usar instruções, em vez de seguirem um conjunto bem específico de instruções).
  • Aprenda um novo idioma. Isso não apenas ajuda a manter sua mente afiada e a formar novas conexões, mas também pode abrir espaço para novas formas de pensar. A pessoa da publicidade pode usar isso para fazer uma seção de anúncios bilíngue que atinja um grupo diferente de pessoas do que aquele que era o alvo.

Parte 3 – Conectando-se Criativamente com Outras Pessoas

1 – Cerque-se de pessoas criativas.

Os humanos são animais sociais. Você estará inspirado quando as outras pessoas estiverem. A criatividade se manterá alta quando você trabalha, ou tem amizade com pessoas que inspiram esta criatividade em você e em seu trabalho.

  • Você achará especialmente útil se fizer amizade com pessoas que não são da mesma área que você. Elas podem lhe dar uma perspectiva no seu trabalho que você não teria de ninguém que já está saturado com as mesmas ideias que você.
  • Este é outro motivo pelo qual é tão importante fazer coisas fora da sua zona de conforto. É aqui onde você encontrará pessoas que desafiam e inspiram criatividade em você, pessoas que pensam diferentemente de você.

2 – Preste atenção as ideias das outras pessoas.

As ideias não existem no vácuo. Até mesmo os pensadores criativos como Salvador Dali (por exemplo) começaram com ideias em suas pinturas capturadas de fontes anteriores. Prestar atenção as ideias das outras pessoas ajudará você a criar as suas próprias.

  • Você verá como as outras pessoas pensam fora da caixa. Aprender os padrões de pensamento das outras pessoas e suas maneiras de pensar ajudará você a não ficar estagnado no seu próprio processo de pensamento. Você pode até mesmo dizer “Como o meu amigo pintor veria esse problema dos anúncios?”
  • Você também pode olhar as ideias de inovadores famosos. Examine quais ideias eles tiveram e funcionaram e quais não funcionaram. Observe suas práticas no encorajamento do pensamento criativo (como os exemplos de Steve Jobs, Tchaikovsky, e Toni Morrison na primeira parte do artigo) e tente seguir estas práticas.

3 – Aprenda a ouvir.

Uma forma de encorajar o pensamento criativo é se manter quieto e ouvir o que as outras pessoas têm a dizer. Parte do porquê isso é uma boa ideia é que ajuda a realmente ouvir o que as outras pessoas estão dizendo, assim você não apresenta as mesmas ideias que já foram introduzidas. Isso ajuda você a organizar seus pensamentos antes de falar.

  • Por exemplo: a pessoa dos anúncios tentou vender anúncios a uma empresa que odiava o jornal. Se ela não tivesse ouvido as preocupações da empresa (como a sensação de que seus anúncios não eram priorizados e que eles não gostavam de alguns tipos de conteúdo apresentados no jornal), ela não teria conseguido que a empresa pusesse o anúncio. Essa empresa depois virou parte do esquema para trazer de volta os anunciantes insatisfeitos.

4 – Lembre-se, você será apresentado a ideias que podem ser “anormais”.

Isso é algo que deve ser lembrado quando estiver lidando com outras pessoas, especialmente em termos de relações de negócios. Às vezes as ideias de fora da caixa não são exatamente a forma correta de se agir.

  • Também é bom ter em mente que suas ideias nem sempre vão funcionar. Não tem problema! Isso faz parte do processo de aprendizado e é por isso que você leva em conta o pior caso quando está criando uma ideia.

Dicas

  • Esteja disposto a explorar coisas que estão fora da sua zona de conforto. É refrescante e você pode encontrar novos interesses e conhecer pessoas novas.
  • Leia algo que não faz parte do seu gênero. Por exemplo, se você acha que odeia ficção policial, por que não ler uma? Você pode se surpreender positivamente; até mesmo se não se surpreender, você desafiou o seu processo de pensamento.

Avisos

Aprender a mudar seu estilo de pensamento não é um processo fácil, ou rápido. Seja paciente. Aproveite a jornada.

Fontes e Citações

  1. http://www.huffingtonpost.com/2014/07/17/how-to-find-great-ideas_n_5591342.html
  2. http://www.hsc.csu.edu.au/design_technology/innovation_emerging/creativity/2453/emercrea.htm
  3. http://www.umich.edu/~elements/probsolv/strategy/brainstorming.htm
  4. http://www.entrepreneur.com/blog/224501
  5. http://blogs.hbr.org/2011/11/how-to-think-creatively/
  6. http://www.theatlantic.com/education/archive/2013/10/teach-kids-to-daydream/280615/
  7. http://www.entrepreneur.com/article/224807
  8. http://www.sciencedaily.com/releases/2010/08/100802165441.htm
  9. http://www.psychologytoday.com/blog/the-power-forgetting/201404/surprising-exercises-get-you-thinking-outside-the-box
  10. http://www.umich.edu/~elements/probsolv/strategy/creative.htm

Sobre o Artigo
Categorias: Desenvolvimento Pessoal

Noutras línguas:

English: Think ‘Outside of the Box’, Español: pensar fuera de la caja, Français: penser hors des sentiers battus, Italiano: Pensare al di Fuori degli Schemi, Русский: нестандартно мыслить, 中文: 跳出思维定式, Bahasa Indonesia: Berpikir Kreatif, Čeština: Jak myslet kreativně, Nederlands: Buiten het kader denken, العربية: التفكير “خارج الصندوق”, Deutsch: Unkonventionell denken, हिन्दी: ‘सीमा से परे’ सोचें, Tiếng Việt: Suy nghĩ Vượt Khuôn khổ

Fonte: http://pt.wikihow.com/Pensar-%22Fora-da-Caixa%22

120 obras filosóficas do século XX para Download -Sartre, Heidegger, Ricoeur, Bergson, Bachelard e outros

Ler é uma das coisas mais maravilhosas que existem. Ler filosofia então é muito mais legal ainda. Nessas idas e vindas pela internet eu encontrei uma publicação com 120 obras filosóficas do século XX para Download no site da Revista Biografia. Dentro do acervo tem preciosidades que vão de Sartre, Heidegger, Ricoeur, Bergson, Bachelard e muitos outros para baixar.  Boa leitura!

Para fazer o download das obras clique no link abaixo:

Google Drive:

https://drive.google.com/folderview?id=0B2fYI0opdjTIeHFfbjZsU3B2Tk0&usp=sharing

ou

uTorrent (Link no Pirate Bay – clique em “Get This Torrent”):

http://thepiratebay.sx/torrent/905031

Caso o site acima não esteja acessando, clique nesta pasta onde encontra-se todos os torrents:

https://drive.google.com/folderview?id=0B4UG_F2QeFUlakRydmRmZFpjVkU&usp=sharing

BACHELARD, G. A Chama de uma Vela

BACHELARD, G. A Epistemologia

BACHELARD, G. A filosofia do não; O novo espírito científico; A poética do espaço (Os pensadores)

BACHELARD, G. A Formação do Espírito Científico

BACHELARD, G. A Poética do Devaneio

BACHELARD, G. O direito de Sonhar

BADIOU, Alain. Pequeno Manual de Inestética

BEAUVOIR, S. O Segundo Sexo 1, Fatos e mitos

BEAUVOIR, S. O Segundo Sexo 2, A experiência vivida

BERGSON, Henri. A Evolução Criadora

BERGSON, Henri. Ensaio Sobre os Dados Imediatos da Consciência

BERGSON, Henri. Matéria e Memória

BERGSON, Henri. Memória e Vida

BERGSON, Henri. O Pensamento e o Movente – Parte A

BERGSON, Henri. O Pensamento e o Movente – Parte B

BERGSON, Henri. O Riso

BOBBIO, N. Dicionário de política

BOBBIO, N. Direita e esquerda

BOBBIO, N. O conceito de sociedade civil

BOBBIO, N. O positivismo jurídico – lições da filosofia do direito

BUTLER, Judith. Deshacer el genero [espanhol]

BUTLER, Judith. Cuerpos que importan [espanhol]

BUTLER, Judith. Precarious life [inglês]

CANDILLAC, Maurice de. Gêneses da Modernidade

CANGUILHEM, Georges. O Conhecimento da Vida

CANGUILHEM, Georges. O Normal e o Patológico

CASSIRER, Ernst. A Filosofia do Iluminismo (1. ed.)

CASSIRER, Ernst. Antropología Filosófica

CASSIRER, Ernst. Indivíduo e Cosmos na Filosofia do Renascimento

CASSIRER, Ernst. Linguagem e Mito

CHALMERS, Alan. A Fabricação da Ciência

CHALMERS, Alan. O Que é Ciência Afinal (2. ed.)

CHALMERS, Alan. What is This Thing Called Science (3. ed.)

CHEVALIER, J. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos dias.

CHOMSKY, N. Linguagem e Mente

CHOMSKY, N. O lucro ou as pessoas

CIORAN, E. Breviário da decomposição

COMTE-SPONVILLE, A. A Felicidade, Desesperadamente

COMTE-SPONVILLE, A. Apresentação da Filosofia

COMTE-SPONVILLE, A. Pequeno tratado das grandes virtudes

DAWKINS, R. Deus, um Delírio

DAWKINS, R. O Gene Egoísta

DEBORD, G. Panegírico

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo

EAGLETON, Terry. A Ideologia da Estética

EAGLETON, Terry. As Ilusões do Pós-Modernismo

EAGLETON, Terry. Marxismo e crítica literária

EAGLETON, Terry. Una introduccin a la teoria literaria (espanhol)

EAGLETON; JAMESON; SAID. Nationalism, Colonialism and literature – Introduction by Seamus Deane

FEYERABEND, Paul. Contra o Método

FEYERABEND, Paul. Diálogos Sobre o Conhecimento

FREGE, Gottlob. Lógica e Filosofia da Linguagem

FRIEDMAN, David. Liberdade e capitalismo radical

GUMBRETCH, H. Cascatas da modernidade

HAYEK, F. A. caminho da servidão

HEIDEGGER, Martin. A Caminho da Linguagem

HEIDEGGER, Martin. A Origem da Obra de Arte (dissertação)

HEIDEGGER, Martin. A Origem da Obra de Arte (inc.)

HEIDEGGER, Martin. Língua de Tradição e Língua Técnica

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo (Parte I)

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo (Parte II)

HERMAN, H. O problema com Deus

HUSSERL, Edmund. A Crise da Humanidade Européia e a Filosofia

HUSSERL, Edmund. A Idéia da Fenomenologia

ILLICH, I. Sociedade sem escolas

KOYRÉ, Alexandre. Do Mundo Fechado ao Universo Infinito

KOYRÉ, Alexandre. Galileu e Platão

KUHN, Thomas. A Estrutura das Revoluções Científicas

LACAPRA, D. Emile Durkheim – sociologist and philosopher [em inglês]

LATOUR, Bruno. Ciência em Ação – Como seguir cientistas sociedade afora

LATOUR, Bruno. Jamais Fomos Modernos

LATOUR, Bruno. Políticas da Natureza – Como fazer ciência na democracia

LATOUR, Bruno. Reassembling the Social

LATOUR, Bruno. Reflexão Sobre o Culto Moderno dos Deuses Fe(i)tiches

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. A Vida de Laboratório

LÉVINAS, E. Entre nós – ensaios sobre a alteridade

LÉVY, Pierre. As Tecnologias da Inteligência

LÉVY, Pierre. Cibercultura

LÉVY, Pierre. O Que é o Virtual

LIPOVETSKY, Gilles. A era do vazio

LIPOVETSKY, Gilles. Os Tempos Hipermodernos

MERLEAU-PONTY, M. Conversas

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da Percepção

MERLEAU-PONTY, M. Signos

MORIN, Edgar. A cabeça bem feita

MORIN, Edgar. Amor, poesia, sabedoria

MORIN, Edgar. Ciência com Consciência

MORIN, Edgar. Cultura de Massas no Século XX, Neurose

MORIN, Edgar. Educar na Era Planetária

MORIN, Edgar. O Método I – A Natureza da Natureza

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro

OS PENSADORES – Vol. 46 (1999). Wittgenstein

OS PENSADORES – Vol. 48-3 (1996). Adorno

PIAGET, Jean. O Estruturalismo

PIAGET, Jean. Sabedoria e Ilusões da Filosofia

POPPER, Karl. A Lógica da Pesquisa Científica

POPPER, Karl. A Miséria do Historicismo

POPPER, Karl. Lógica das Ciências Sociais

RAWLS, J. A Theory of Justice

RAWLS, J. Justiça e Democracia

RAWLS, J. Liberalismo Político

RAWLS, J. Uma Teoria da Justiça

RICOEUR, P. A Metáfora Viva

RICOEUR, P. Autobiografia Intelectual [em espanhol]

RICOEUR, P. Hermeneutica e estruturalismo

RICOEUR, P. Interpretação e Ideologias.

RICOEUR, P. Percurso do reconhecimento

RICOEUR, P. Tempo e Narrativa, tomo I

RICOEUR, P. Tempo e Narrativa, tomo II

RICOEUR, P. Tempo e Narrativa, tomo III

RUSSELL, B. A autoridade e o indivíduo

RUSSELL, B. Introdução à Filosofia Matemática

RUSSELL, B. Os Problemas da Filosofia

RUSSELL, B. Por Que Não Sou Cristão

SARTRE, J-P. A náusea

SARTRE, J-P. Entre quatro paredes

SARTRE, J-P. Esboço Para uma Teoria das Emoções

SARTRE, J-P. O Imaginário

SARTRE, J-P. Os Caminhos da Liberdade [vol.II] – Pena Suspensa

SERRES, Michel. Diálogo sobre a ciência, a cultura e o tempo conversas com Bruno Latour 

Fontes:
Arquivo Kronos  

Nota: A Revista Biografia nem esse blog não possuem os arquivos hospedados em seu banco de dados. Apenas divulgamos os links presentes em outras páginas na internet. Se, porventura, a publicação ferir direitos autorais, nos comunique que ela será, imediatamente, retirada do site.

Google Imagens: como descobrir a fonte original de uma imagem

Vamos supor que você tenha uma imagem que foi baixada há muito tempo através de seu navegador, mas que não possui nenhum tipo de referência no nome do arquivo que indique em qual site ela foi baixada. O que você faria para descobrir qual a origem desta foto ou ilustração? Nós temos um método bem fácil!

O conhecido serviço de busca Google possui uma ferramenta que foi desenvolvido justamente para realizar uma espécie de “varredura reversa”, possibilitando a localização de imagens com as mesmas características da foto que você possui em seu computador para indicar e localizar diversas páginas em que este arquivo pode ter sido baixado.

Utilizando o Google Images

É importante lembrar que este tipo de busca por imagens pode apontar diversos resultados, fazendo com que você tenha que realizar filtragens para encontrar a fonte que você procura. Vamos ao tutorial!

  • Existem duas formas de você acessar o Google Images. A primeira consiste em entrar na página principal da ferramenta de busca e clicar em “Imagens”;

  • Já o segundo método é acessando diretamente deste link;
  • Assim que a página do Images for carregada, clique no botão com o ícone de câmera fotográfica;

  • Na página do Google Images, escolha o método de busca a ser utilizado. Em “Paste image URL” (1), você poderá jogar o link direto de uma imagem, e, na guia “Upload an image” (2), realizar a pesquisa através de um arquivo armazenado em seu computador. Você também pode facilitar ainda mais a busca arrastando o arquivo diretamente para o campo de busca. Logo em seguida, você será redirecionado diretamente para a página com os resultados.

Alternativa de busca

  • Se você não encontrar o site desejado no Google Images, é possível procurar pela imagem através do serviço TinEye. Acesse este link para abrir a página da ferramenta de busca;
  • Na página principal do TinEye, utilize o botão “Selecionar arquivo” (1) para indicar a localização do arquivo de imagem a ser pesquisado. Caso seja o link direto de uma foto, cole a URL correspondente no campo “Enter Image Address” (2) e clique em “Search”;

  • Depois de alguns segundos, a sua busca será concluída. Você pode utilizar os filtros do TinEye para refinar os resultados e facilitar a localização do site correto. Recomendamos a utilização da opção “Oldest”, pois ela vai encontrar a imagem mais antiga que foi postada, ou seja, provavelmente será a original.

Fontes: How-To_Geek

Como fazer o OCR de PDF online

As Melhores Ferramentas para Executar OCR em PDF Online

1. OnlineOCR

PDF OCR On-line

Um dos sites gratuitos que oferece o recurso de OCR é o OnlineOCR. Este site permite que você converta PDF para formatos editáveis como Word, Excel e texto. Além disso, este lindo site lhe permite extrair imagens e textos de seu PDF. O seu OCR online é multilingue e suporta até 46 idiomas que incluem Inglês, dinamarquês, chinês, coreano, estoniano, finlandês, e muito mais. O que você precisa é apenas de se registar para usar todos os recursos que ele tem.

PDF to Texto Converter OCR on-line

Outro site gratuito que está equipado com a tecnologia OCR o Free Online OCR. O seu OCR permite converter PDF escaneado, “prints” de tela e imagens para formatos como Word, Excel, e textos. A sua interface de usuário é amigável e permite fazer upload de arquivos e escolher o formato de saída e, em seguida, apenas converter.

PDF grátis OCR

O Free OCR também é outro site superior que lhe permite converter arquivos escaneados e fotos para documentos. A beleza deste site é que ele não requer registro neste site mediante a apresentação de e-mail. Quando estiver no site, basta carregar o arquivo escaneado e escolher um idioma de OCR e depois converter. Ele suporta até 29 idiomas de OCR como o inglês, francês, eslovaco, ucraniano, polonês e muitos mais.

4. i2OCROCR PDF grátis

O i2OCR é outro OCR online gratuito que permite que você faça OCR de seus arquivos escaneados. O seu OCR suporta mais de 70 línguas utilizadas em todo o mundo. Ele também suporta os principais formatos de imagem como PNG, JPEG, BMP, só para citar alguns. Com este site, você será capaz de fazer OCR de seus arquivos escaneados e imagens com apenas alguns cliques. Ele oferece a saída de arquivos para Word, texto e formatos que sejam compatíveis com Adobe PDF.

OCR PDF On-line Grátis

O site do NewOCR também é um OCR online gratuito que não pode faltar em nossa lista dos cinco melhores. Este software tem a capacidade de digitalizar suas imagens e documentos escaneados e convertê-los em texto simples, Word e Adobe Acrobat. Ele permite o upload de vários arquivos de imagem para o site. Além disso, este site suporta 106 idiomas de OCR. O NewOCR é um dos poucos sites que reconhece equações matemáticas.

OCRConvert.com é um serviço de OCR online gratuito que permite converter PDF para texto, JPEG a texto e imagens digitalizadas em documentos editáveis. Basta fazer upload de seu arquivo e o programa irá processar o seu arquivo para qualquer texto editável e vai enviar os resultados de volta para você, que você pode baixar o texto processado por do documento do Word ou copiar e/ou passado online.
PDF de Limitações On-line Ferramentas OCR

Ferramentas gratis online são benéficas quando você quer executar o OCR em seus documentos de tamanho pequeno ou imagens. A maior parte tem baixo custo e está disponível para uso, e em alguns casos eles sequer exigem registro. Por outro lado, esses sites têm limitações como as destacadas abaixo.

  • Eles oferecem formatos de saída limitados em comparação com softwares.
  • O tamanho do arquivo a ser escaneado é limitado para certos MB dependendo com o site, ficando geralmente em torno de 100MB.
  • O OCR online gratuito só suporta o idioma Inglês para OCR.
  • Alguns exigem registro para usar o acesso à algumas funcionalidades.
O Melhor Software de OCR para Desktop para trabalhar com PDF Escaneado

Como observado acima, as ferramentas de OCR online oferece uma solução, mas você vai ter algumas limitações. Para resolver isso, você precisa usar uma ferramenta OCR de desktop que ofereça ampla gama de recursos. Uma sugestão é o Renee PDF Aide conforme eu cito nessa postagem aqui. Esta ferramenta tem uma boa funcionalidade OCR, o que deixa seu arquivo escaneado e imagens editáveis e pesquisáveis. Para acrescentar, ele também é multilíngue e suporta línguas globais populares como inglês,espanhol, francês, alemão, português, árabe, russo e chinês.

O Renee PDF Aide também oferece uma grande variedade de opções para converter seu PDF para Word, PPT, Texto, Excel, imagens e EPUB, etc.

Fonte: https://pdf.wondershare.com.br/pdf-editing-tips/pdf-ocr-online-free.html

Como Criar o seu Próprio e-Book

Criando o seu primeiro Livro Digital

Nesta postagem, vamos tentar lhe ensinar como criar o seu próprio e-book, utilizando ferramentas gratuitas para que você possa divulgar as suas idéias, ou até mesmo melhorar a sua renda mensal, pois você vai se dedicar ter que ralar muito para criar o seu primeiro livro digital, então é mais do que justo que você seja remunerado por isso.

Você pode criar e vender na Internet seus próprios livros digitais (não custa lembrar que ninguem vira escritor de sucesso do dia para a noite, ok?) e você aprenderá como fazer isso lendo as próximas linhas.

Criando o Conteúdo do seu e-Book

Esta é a parte em que menos podemos lhe ajudar, mas podemos lhe dar algumas dicas: Comece pensando em assuntos que estão totalmente ligados com você, seja assuntos profissionais ou pessoais, como um hobby. Este é o ponto primordial para a criação do seu e-book: você precisa se divertir no processo. Isso mesmo, não será um trabalho, será a mais pura diversão. Certamente você acumulou muita experiência em diversos assuntos nas últimas décadas de sua vida não é mesmo ? Pode acreditar, além de poder passar um pouco do seu conhecimento para os demais, você também vai aprender muito no processo.

Formatação o seu e-Book

Um e-book não é muito diferente de um livro tradicional em termos de formato, embora num e-book você possa adicionar recursos que são impossíveis em livros de papel. Basicamente possui: Capa, Índice, Introdução, Corpo principal, conclusão e informações sobre o autor ou divulgação de outros produtos. Se você tem dúvidas sobre como formatar o seu e-book, basta acessar nossa seção de DOWNLOADS para baixar os e-books e verificar como são formatados.As Ferramentas Necessárias

Você vai precisar de algumas ferramentas para concluir o seu primeiro livro digital, que são basicamente:

  • Um EDITOR DE TEXTOS que permita, de preferência, texto e gráficos como o Microsoft WORD ou Libre Office.
  • Um programa para CRIAR A CAPA do seu e-book
  • E um programa para CONVERTER o seu arquivo do formato original para PDF.

Embora você possa distribuir o seu livro digital em qualquer formato digital, eu recomendo sempre que tenha uma cópia no formato PDF por questões de portabilidade para diferentes plataformas e segurança para resguardar sua propriedade intelectual.

Vamos Começar ?

Se você ainda tem dúvidas se pode mesmo criar seu próprio livro digital, eu recomendo você fazer uma pequena experiência antes de tudo. Acredite, quando ver os primeiros resultados vai começar a tomar gosto pela coisa, ou então, vai concluir que esse negócio de livro digital não é pra você. Minha proposta é que você crie um MINI E-BOOK, com uma capa, uma página de introdução, duas ou três páginas de texto e uma página de conclusão.

O assunto pouco importa aqui nessa fase do processo, pois aqui, o objetivo é mostrar a você COMO FAZER.

– Título
Meu primeiro livro digital
– Autor
Você
– Página de Introdução
Escreva algo sobre sua proposta para este livro
– Corpo principal
Escreva sobre sua experiência em escrever o seu primeiro livro digital
– Conclusão
Escreva como foi sua experiência em ter escrito seu primeiro livro digital
– Sobre o Autor
Fale algo sobre você e coloque seus dados como e-mail para contato

Criação da CAPA para seu e-Book

O software que vou recomendar é o mesmo que testei para a criação da capa dos meus e-books. Este software pode ser utilizado para a criação de capas de CD´s, DVD´s e também de e-books. O Software é KRONEN-DESIGN e o endereço para download é: http://www.kronen-media.de/download/kronendesign.exe

Outra opção para a criação de capas é um serviço online, que eu uso, que você pode criar o arquivo .jpg da capa do e-book em qualquer editor gráfico e este serviço transforma em uma capa de ebook. Veja um exemplo abaixo:

Endereço: https://www.canva.com/

Imagem Original em JPG

 

Imagem da Capa Gerada

Para a criação de capas de e-books em formato box, uma excelente opção online é o site 3D-Pack. Ele gera imagens realistas em formatos caixa, DVD´s e CD´s. Assim como no serviço anterior, você precisa ter as imagens prontas para enviar para o site. Para a geração de capas em formato box, são necessárias 3 imagens: Cover (Frente), Side (Lado) e Top (Parte de Cima). Para CD´s e DVD´s apenas duas: Cover (Frente) e Side (Lado). Ele permite gerar imagens em .PNG, .JPG e .GIF. Um ponto negativo é que ele não permite definir as dimensões das imagens. Neste caso, se você quer uma imagem menor, precisará redimensionar a imagem em um software apropriado. Se este é o seu caso, você pode utilizar o proprio Paint que está disponível no Windows ou o softwre livre Gimp que eu uso e recomendo. Outro detalhe é que ele gera uma imagem muito comprida devido ao reflexo da imagem. Neste caso você pode utilizar o próprio Paint do Windows para recortar a imagem e retirar o excesso.

Veja como fica um BOX criado neste site:

Endereço: http://3d-pack.com

Templates (Modelos) para capas de e-books

Se você tem dificuldades para utilizar editores gráficos para montar a capa do seu e-book, utilize os templates para capas de e-books disponíveis na central de downloads. Você escolhe o modelo, utiliza um editor gráfico para incluir os textos e transforma essas imagens em um Box 3D ou capa de livro utilizando os serviços online citados acima.

Acesse: Templates para Capas de e-books

O Editor

Você vai escrever o seu e-book em um editor de textos. O mais recomendável é que você use o editor de textos que está acostumado. Alguns vão dizer que é o Microsoft WORD pelos recursos que possui, já outros dirão que o Libre Office é o melhor (eu sou um desses) pela estabilidade e liberdade, mas nesse Fla Flu o que deve acontecer é você poder utilizar qualquer editor para escrever o seu e-book. Escolha um que permita trabalhar com gráficos também, assim o seu e-book vai ficar mais interessante. Se você não tem acesso (leia-se grana) ao Microsoft WORD, então você pode utilizar o Libre Office. Acesse o site para fazer o download do Libre Office. Se você não tem muita experiência com editores de texto, então você pode fazer o download de alguns templates para e-books em PDF aqui.

Software para Formatar e-Book em PDF

Para converter em PDF você pode utilizar o software free DOPDF que funciona como uma impressora do Windows, ou seja, quando instalar o software ele vai aparecer na lista de impressoras do sistema operacional. Para fazer a conversão basta você carregar o seu arquivo com o editor e mandar imprimir, na lista de impressoras selecione o DOPDF e ele vai pedir para informar o nome do arquivo a ser gerado.

Download : http://www.dopdf.com/br/quick-download.php

Acrobat READER

Para o DOPDF poder funcionar corretamente e também para visualizar o seu e-book no formato PDF você precisa ter instalado em seu equipamento o Acrobar Reader.

Download : http://www.adobe.com/products/acrobat/readstep2.html

Baixe um Software Livre Leitor de PDF

O Portable Document Format (PDF) é uma forma popular de publicação de textos e documentos formatados. Existem diferentes versões dele, algumas classificadas como Padrão Aberto (Open Standard), algumas certificadas pela ISO e algumas cobertas por patentes de software. Você pode promover as versões que são Padrões Abertos, porque Padrões Abertos garantem a interoperabilidade, competição e escolha. Leia mais (em inglês)…

Existem muitos programas para ler e escrever documentos em PDF. A seguinte lista de Leitores de PDF é neutra quanto ao fornecedor. Todos eles são Software Livre, respeitando suas quatro liberdades básicas para uso, estudo, compartilhamento e aperfeiçoamento. Isto lhe dá controle sobre seu computador e ajuda a proteger sua privacidade.

Existem outras alternativas proprietárias ao Leitor de PDF da Adobe, mas como ele, seu trabalho interno e código fonte é um segredo e estes programas não respeitam seu direito para controlar sua privacidade e seus dados.

Note que a maioria dos Sistemas Operacionais Livres oferecem suporte a sistemas de gerenciamento de pacotes, e não requerem que você faça o download de qualquer arquivo das páginas dos projetos. Você encontrará instruções de como instalar estes pacotes nos websites de sua distribuição. As páginas de download referenciadas aqui proverão o código fonte, caso você deseje compilar, estudar ou aperfeiçoar o software.

Acesse a lista com os softwares livre para ler PDF aqui

 

Software para Formatar e-book em HTML

Você também pode criar o seu ebook a partir do formato HTML igual as páginas na Internet. O FREEWARE Nata Ebook Compiler é muito simples e pode compilar até 50 arquivos (Incluindo Gráficos) na versão FREE.

Download : http://www.natata.com/download_ebook_compiler.html ou aqui http://www.jm-digital.com.br/download/natcfree.exe

Modelos Prontos para e-books em PDF

Você pode ter acesso a mais de 180 modelos prontos para formatar o visual dos seus ebooks em PDF e criar um ebook com visual realmente incrível. Se você pretende entrar na arena da venda de ebooks na Internet, veja agora mesmo este pacote especial com modelos profissionais especialmente criados para quem pretende desenvolver um trabalho sério com ebooks.PDF e-Book Templates

Resultados Digitais: http://materiais.resultadosdigitais.com.br/templates-de-ebook

Trakto Books: http://ebook.trakto.io/

JM Digital: http://www.jm-digital.com.br/download-ebooks-templates-gratis.asp

Small Biz Trendshttps://smallbiztrends.com/2008/03/free-e-book-templates.html

PDF eBook Templates: http://www.net-commerce.net/pdf/?ID=1039

Como Registrar o seu e-book na Biblioteca Nacional

Um passo muito importante no processo de criação da sua obra digital é fazer o registro na Biblioteca Nacional – caso você tenha alguma intenção séria com o seu e-book, como por exemplo vendê-lo para ganhar um dinheiro extra todos os meses. Para garantir os seus direitos autorais é preciso registrar o seu e-book na Biblioteca Nacional para obter o ISBN. Eu disponibilizei um artigo completo que informa passo a passo como registrar o seu e-book e garantir os seus direitos como autor da obra digital.

Veja como registrar o seu e-book em: Como Registrar um e-book na Biblioteca Nacional

Viu como é FÁCIL ?

Parabéns, você acaba de criar o seu primeiro livro digital. Claro que este foi somente um experimento. Agora você poderá pensar com mais calma no conteúdo do seu e-book e porque não, criar também o seu próprio site para vendê-lo.

Pense em quantos internautas poderão estar procurando por dicas no assunto que você é um verdadeiro expert. Um e-book pode também ser uma excelente ferramenta de marketing, pois você poderá oferecê-lo de graça para download e com isso poderá divulgar seus produtos e serviços para milhares de pessoas no Brasil e no Mundo.

 

Fonte: http://www.jm-digital.com.br/criacao_ebook.asp

7 Plataformas Free para Estatisticas em Mídias Sociais

O pessoal da agência Me Gusta fez uma postagem bem legal e útil sobre ferramentas para checar a quantas anda seu site/blog/perfil na rede. Eles disponibilizaram várias ferramentas que vão poder dizer a você onde você deve melhorar sua performace na rede. Eles tem outras coisas bem legais compartilhadas por lá. Dá uma força (curte lá) no Facebook deles também.

Clica na foto ai abaixo e dá uma conferida na postagem.

Histórias em Quadrinhos na Escola

Os alunos da rede pública paulista têm uma propensão à leitura de quadrinhos. E na sua escola? Entenda como utilizar as HQs para tornar as aulas mais interessantes – e como a tecnologia facilita o acesso a este recurso

Uma pesquisa da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo divulgada no mês passado indica que 45% dos alunos da rede estadual de ensino têm preferência pelos quadrinhos na hora da leitura. Por isso, este tipo de recurso deve ser incorporado ao planejamento das aulas, em diferentes disciplinas.

Para Waldomiro de Castro Santos Vergueiro, coordenador do Observatório de Histórias em Quadrinhos da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), o motivo do interesse dos jovens pelas HQs parece óbvio. Para ele, a linguagem e a dinâmica peculiar dos quadrinhos são essenciais para sua atratividade e para uma leitura ativa por parte de quem acompanha as tramas. “A todo o momento, o leitor tem que preencher elementos da história: uma parte vem narrada graficamente, e a outra parte o leitor vai completando”, afirma. “Você tem uma cena, por exemplo, em que o personagem está com a mão na maçaneta da porta, e logo em seguida ele está dentro da casa. O espaço entre os dois quadrinhos é preenchido pela imaginação do leitor”, explica.

Uso dos quadrinhos atrelado a objetivos didáticos

Alguns professores ainda se mostram hesitantes em usar as HQs em sala de aula, com receio de misturar os “momentos de lazer” com os de aprendizado. Mas o segredo está em fazer um bom uso didático dos quadrinhos, atrelando-os aos conteúdos que se deseja trabalhar com a turma.

E há incentivos governamentais para a adoção deste recurso nas salas de aula brasileiras. Segundo Vergueiro, o governo tem se esforçado desde o final da década de 90 para incluir as histórias em quadrinhos em projetos educacionais e nas diretrizes curriculares da educação nacional. “Pelo Programa Nacional Biblioteca na Escola, a rede pública de ensino recebe vários livros e, desde 2006, o Ministério da Educação passou a incluir quadrinhos entre as obras distribuídas. Isso é uma mensagem para o professor: ‘você pode utilizar histórias em quadrinhos’”, observa.

Para Paulo Eduardo Ramos, jornalista e professor do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e coautor do livro Quadrinhos na Educação, há, ainda, outro problema a ser resolvido para que os quadrinhos se consolidem como ferramenta na escola. “Há mais resistência ou falta de habilidade em trabalhar o tema do que experiências bem-sucedidas”, diz. Enfatizando a obrigatoriedade de um objetivo didático-pedagógico atrelado ao uso desse tipo de obra na sala de aula, Ramos alega que a falta de orientação dos profissionais diante dos recursos disponíveis pode invalidar todo esforço e incentivo oferecidos.

Diante disso, o professor Vergueiro observa o quanto a habilidade de inserir os quadrinhos na sala de ala depende de uma preparação didática e do repertório cultural do professor. E indica: a escolha da história abordada deve sempre levar em conta as particularidades de cada turma. “Ele [o professor] deve conhecer bem o seu grupo de alunos, ver que tipo de história é mais eficiente para eles”, lembra.

Histórias na prática: HQ na sala de aula

Sem receios, é possível elencar atividades usando as HQs nas mais diferentes disciplinas, com base em quadrinhos ‘realistas’ ou até mesmo nos de super-heróis. Para Vergueiro, as histórias podem servir como pontos de partida para planejar, inclusive, aulas de Ciências: “Por que seria absurdo o super-herói tal ter esse poder, em termos de leis da Física?”, o professor pode perguntar à turma para levantar hipóteses junto dos alunos até chegar às explicações didáticas sobre o tema central da aula.

É importante atentar-se, também, ao contexto. As tiras da personagem Mafalda, por exemplo, que são as mais utilizadas na educação brasileira, podem gerar confusão se não forem devidamente discutidas e apresentadas aos alunos. “Se o professor quiser usar esse material, ele vai ter que se preparar para conseguir fazer uma ponte entre o leitor da década de 60 [quando as tiras foram criadas] e o leitor de hoje”, argumenta Vergueiro.

Uma proposta diferente pode ser a da confecção de HQs entre os alunos. Com dois códigos diferentes – a imagem e o texto –, essa linguagem é fluida e diferente do que o jovem está acostumado a produzir, por exemplo, em redações.

Waldomiro Vergueiro:
“As melhores tiras, hoje, estão na internet. Tem casos de pessoas cujo trabalho na internet ficou tão conhecido que eles foram contratados em jornais”

O papel da tecnologia na produção e leitura de quadrinhosNo contexto não só da produção de histórias por parte dos alunos, mas também no da distribuição de textos para que eles leiam, a tecnologia pode ajudar bastante. Softwares especializados podem estimular e ajudar o aluno a se expressar por meio dessa linguagem, sem ter que necessariamente saber desenhar. É o caso do “Hagáquê”, ou dos programas disponíveis para uso online, como o Stripgenerator ou o Comeeko.

“As melhores tiras, hoje, estão na internet. Tem casos de pessoas cujo trabalho na internet ficou tão conhecido que eles foram contratados em jornais”, afirma o professor Waldomiro Vergueiro. Esse material disponível gratuitamente na rede permite uma exploração mais livre e barata do mundo dos quadrinhos, tanto por parte do profissional, quanto de seus alunos.

Para adotar os quadrinhos na escola
  • Confira as indicações de autores e títulos populares e mais adequados para cada faixa etária
  • Até o 6º ano – Mauricio de Souza, Disney, Pernalonga
  • Do 6º ao 9º ano – Mangás e quadrinhos de aventura
  • Ensino Médio – Watchmen, Cavaleiro das Trevas, Capitão América, Maus, Persépolis
  • Geral – Asterix, Tintin e Mafalda

Dicas para criar eBooks simples com software livre

Confira algumas dicas que podem ser úteis para desenvolver e-books simples sem pagar caro por licenças de software

O Indesign é bem útil para criar e-books, sobretudo com maior apelo visual. Mas vamos encarar: é um produto caríssimo. Um editor ou escritor independente que está buscando seu mercado pode não ter condições de desembolsar R$ 1.160 no programa. Crack numbers ou keygens são opções para quem gosta de piratear, então não reclame se você é adepto dessa prática e seu livro for parar em repositórios ilegais.

Como alternativa, é possível criar livros digitais simples utilizando apenas software livre. Com um editor de texto, pode-se criar estilos, definir fontes, espaçamento entre linhas e dar uma cara personalizada ao eBook. Já o compilador vai transformar tudo isso em código para ser lido pelos eReaders, criar o sumário (TOC) e fazer a verificação. Por último, o conversor pode criar diversos formatos para seus livros. Dando nome aos bois, veja abaixo os softwares mais comuns.

Outro ponto forte dos softwares livres é que normalmente eles rodam em qualquer sistema operacional para desktops. Por isso, não importa se você usa Windows, MAC OS X ou alguma distro Linux: os programas são os mesmos. Só um lembrete antes de começar: essas dicas valem para e-books muito simples, apenas com texto e imagens.

1. Libre Office

Alguns recomendam que o arquivo fique limpo de edições, ou com uma mesma fonte. Mas dá para variar um pouco, sem problemas. Crie pelo menos dois estilos: o de parágrafo, que irá constituir a maior parte do texto, e o de capítulo – use a criatividade e se imagine como o leitor: a fonte e o tamanho são mesmo interessantes? Como isso deverá ficar na tela de um tablet? Ou e-reader? Ou mesmo um computador?

Após consultar alguns colegas da área gráfica, julguei melhor utilizar fontes serifadas para o corpo do texto e não-serifadas para blocos menores (como legendas e títulos), assim como nos livros físicos. Além disso, em e-books é interessante usar um espaçamento de 1,5; faz diferença na hora da leitura, para não ficar um bloco denso de texto.

Após definir e aplicar os estilos, exporte para HTML/XHTML, mas salve o original em formato ODT.

2. Sigil

Abra o menu ‘Arquivo’ e vá em ‘add > existing files’ e selecione o documento HTML que você criou a partir do original. Todo o livro vai abrir em uma única aba. Selecione os blocos de capítulos e separe-os, um em cada aba (para criar uma nova, basta ir em ‘add > blank HTML file’). Crie tantas quantas forem necessárias, uma para cada capítulo mais a capa e outros elementos do livro (como ficha catalográfica). É interessante renomear cada documento .xhtml com o nome do capítulo.

Feito isso, é preciso criar o sumário. Vá até a opção “generate table of contents” e defina o que vai aparecer no sumário. O resto o próprio programa executa. É importante notar que os capítulos e, se houver, demais entradas, devem estar como headings (h1, h2, h3). Normalmente já fica como o padrão, mas pode ser necessário ajustar manualmente.

Se o seu livro tem outros elementos – tais como vídeo, áudio e imagens – eles devem ser acrescentados nas pastas, que aparecem do lado direito da tela. Ali é formada uma espécie de “biblioteca”, e quando você quiser inserir em alguma parte do texto, o Sigil vai browsear naqueles locais.

Conluídas as edições, é hora de fazer a verificação. O próprio Sigil tem um sistema de validação: basta clicar na opção ou ir em ‘tools > validate EPUB with FlightCrew’. Se você seguiu esses passos, a validação pode indicar problemas de título ou linguagem. Para resolver, vá em tools > editor de metadados e preencha os respectivos campos. Faça a validação novamente e, se o programa não indicar mais nenhum problema, seu e-book está pronto.

3. Calibre

O Calibre é útil para organizar os livros e abrir arquivos ePub, mas seu principal propósito é a conversão entre formatos. Como toda conversão automática, tende a apresentar defeitos – por isso, verifique bem o resultado final.

Primeiro, vá em “adicionar livros” e selecione o ePub criado no Sigil. Depois, se quiser converter, clique com o botão direito sobre o nome do livro e selecione converter ‘livros > converter individualmente’.

Irá abrir uma janela com várias opções, incluindo metadados, aparência, estrutura, formatos de entrada e saída. Várias opções são avançadas, e requerem um tutorial individual. As ferramentas mais comuns são “configurações de página”, onde você vai definir os perfis de entrada e saída, “detecção de estrutura” e “sumário”.

Lembrando que essa opção só é útil para exportar livros para eReaders que não leem ePub, como o Kindle – caso você queira vender na Amazon. Nesse caso, há duas opções, nos lados esquerdo e direito superiores da tela, correspondentes ao formato de entrada e saída. Em entrada, selecione EPUB, e em saída (nesse caso) MOBI (mas há uma dezena de outras opções, dependendo do leitor).

Depois, vá até “sumário” e marque a caixa “não adicione os capítulos detectados no Sumário” – uma vez que essa parte já foi feita no Sigil. Logo depois, vá para a opção “saída MOBI” e insira um título para o sumário. Daí é só salvar.

Para verificar se tudo está certo, ainda no Calibre vá até “exibir”, com o livro selecionado, e clique em “exibir formato específico”. Veja se tudo está certo e funcionando. E boa distribuição.

Fonte: http://ebooknews.com.br/dicar-criar-ebooks-simples-com-software-livre/ 

160.000 audiolivros para você ouvir de graça

Você sabe o que são audiolivros? Audiolivros são simplesmente livros em formato áudio, também chamado de livro falado ou audiobook.

Ler sempre foi uma atividade solitária, silenciosa e que exigia muita concentração. Mas isso está mudando. Milhares de pessoas já utilizam um jeito alternativo de embarcar nas obras literárias. Elas são adeptas de audiolivros, versões em áudio de livros impressos. As obras custam até 70% menos que a versão em papel.

Normalmente é gravado em estúdio, lido de forma pausada com interpretação. Também há a utilização de efeitos sonoros e músicas que ajudam o ouvinte a simular melhor a atmosfera criada. É um recurso fundamental para promover a “cultura leitora” em pessoas com deficiência visual ou com dificuldades de leitura, por exemplo dislexia. Convém referir que o audiolivro não pretende eliminar o prazer de leitura, mas trazer uma nova alternativa ao acesso ao conhecimento e à literatura.

Fizemos uma seleção com aplicativos gratuitos que você pode utilizar para ouvir audiolivros:

1 – Audiolivros da Audible

Deixe-se levar em uma história incrível a qualquer hora e lugar, fazendo o download de um dos nossos 150.000 títulos disponíveis para o seu iPhone, iPod Touch ou iPad: desde best-sellers até os clássicos.

2 – Audiobooks HQ

Se você adora ler, mas não consegue achar tempo, então este App é para você. Use seu tempo indo ou voltando do trabalho, fazendo trabalho de casa ou se exercitando para ficar em dia com os melhores livros já escritos. Audiobooks HQ de Inkstone Mobile lhe dá 8.150 audiolivros absolutamente grátis.

3 – Audiobooks Grátis

Ouça audiolivros em qualquer lugar. Basta selecionar um livro, colocar seus fones de ouvido e você irá instantaneamente clarear seu dia atarefado. Você ficará ansioso pela ida ao trabalho, aquele exercício ou mesmo por lavar a louça, sabendo que uma boa história aguarda você. Audiobooks Grátis de Inkstone Mobile lhe dá 5.600 audiolivros absolutamente grátis.

Fonte: http://www.universoneo.com.br/portal/institucional/leitura/160000-audiolivros-para-voc%C3%AA-ouvir-de-gra%C3%A7a

Kindle, Lev ou Kobo: Qual é o melhor e-reader e qual deles tem a melhor relação custo-benefício?

Diversas vezes me perguntam qual o melhor e-reader de e-book e eu sempre respondo: O que couber no seu bolso/orçamento. Logico que há outros fatores técnicos que devem ser considerados, mas o primeiro deles é o preço e depois coisas como a quantidade de livros, os formatos suportados, tempo de duração da bateria, peso, iluminação, tamanho, etc… São tantas coisas a avaliar que muita gente acaba ficando na dúvida de qual levar pra casa.

Outra coisa muito irritante, que parece ser uma prática comercial bem aceita por essas bandas, e com relação aos preços dos e-readers aqui no Brasil. Além de serem mais caros do que no exterior, as lojas praticamente tabelam os preços ao invés de procurarem concorrer de fato entre si, tirando os modelos de ponta, os valores são muito iguais. Lendo as postagens indicadas vocês vão poder ver nas tabelas que estão nelas o que eu estou falando. Na minha opinião, o preço seria um fator muito importante na escolha de um e-reader, mas acaba ficando quase de lado, já que todos praticamente cobram o mesmo preço.

Outro ponto importante é lembrar que os e-readers são leitores eletrônicos de livros. Você não consegue instalar aplicativos neles, nem jogos (note que os modelos Kindle Fire são tablets, não são e-readers). E-readers foram concebidos para substituir o livro impresso, para os usuários que queiram apenas ler livros. Para entender melhor isso dá uma lida neste post do pessoal do Vida Sem Papel sobre a treta entre tablets e e-reades.

É muito bom deixar claro que vários modelos que são apresentados nas postagens indicadas são de e-readers com tela e-Ink, que é aquela tela que não utiliza nem a tecnologia LCD e nem LED, que permite que a imagem seja apresentada sem emissão de luz (alguns modelos possuem uma iluminação para leitura, mas não é a mesma coisa, a iluminação é lateral e tem menor incidência nos olhos). Por isso, ela tende a ser mais agradável para a leitura, em comparação com as outras tecnologias apresentadas.

De todo jeito, espero que esta postagem possa ajudá-los a analisar as características de cada modelo mais facilmente. Eu recomendo que você leia o post Dicas para escolher o melhor e-reader para você, também do pessoal do Vida Sem Papel, e o onde eles falam sobre os fatores que consideram mais importantes na escolha de um e-reader, além das características de cada modelo. Se você está pesquisando para comprar um e-reader, eu considero dar uma leitura obrigatória nestes postagens que estão lá no final.

Não vale esquecer que sempre é bom pesquisar lá no Reclame Aqui também a reputação das empresas e seus produtos.

Após a análise, eu optei pelo Kindle que promete o que entrega, que talvez tenha o melhor pacote entre os três e-readers disponíveis no Brasil (minha opinião). Em termos de ofertas de livros, ele tem uma vantagem imensa devido ao tamanho da Amazon e à dimensão do seu acervo em todas as línguas.

Mas, como todo tudo na vida, ele pode não agradar a todo mundo, afinal como diz o ditado “o que seria do azul se não fosse o vermelho”, né?. Se você quiser mais liberdade e independência do Calibre, software de conversão de e-books, o Kobo talvez seja sua melhor escolha (eu não tenho nenhum problema com o Kindle também usando o Calibre). Do mesmo modo, o Lev apela mais aos consumidores que só leem em português ou precisam de um dispositivo que rode PDF com perfeição. Bem…

Seja qual for sua escolha… Boa Leitura.

Vida Sem Papel – Comparativo entre os e-readers Kindle, Kobo e Lev (atualizado em 09/02/2016)

TechTudo – Kindle, Lev ou Kobo: Qual e-reader oferece o melhor custo-benefício?

Três Leitoras – Kindle, Kobo ou Lev: Qual o Melhor?

Fórum: [Tópico Oficial] E-Readers: Kindle, Kobo e LEV | Muitas Informações e dicas pelo tópico! ATUALIZADO

Guia do PC: Artigo: Qual o melhor leitor de livros digitais da atualidade?