Tecnologias na Educação: Educação Proibida – O Filme

Olá amigos

O blog do Blogs Educativos divulgou uma indicação de filme muito legal chamada Educação Proibida- O filme . La Educación Prohibida é um documentário, produzido por diversos países latino-americanos, questionando a forma como sistemas tradicionais de ensino estão organizados e como alunos e professores se vêem nele.

O filme tem a duração de 2h 25m e 19. É imperdível e recomendável a educadores e pais.
Distribuído em licença em Creative Commons 3.0,permite a reprodução total ou parcial, cópia, modificação, tradução, redistribuição e exibição pública para fins não lucrativos. Ideal pra trabalhar com o filme (em cursos de formação de professores, ou em reuniões com colegas professores ou ainda apresentar a pais),em escolas sem conexão à internet,veja as dicas de como salvar e gravar o vídeo aqui.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=-1Y9OqSJKCc]

Para ir direto ao vídeo, no YouTube, é só clicar em cima dele, aí abaixo. Você pode acompanhar e fazer comentários sobre o filme, nas redes sociais e no site.

E ainda pela hashtag :#YoViLEP, no Twitter

Abraços
 
Robson Freire

Para que nos nunca esqueçamos …

Olá Amigos

Hoje é dia 9 de agosto, um dia para que a humanidade nunca se esqueça do maior ataque nuclear ocorridos em Hiroshima e Nagasaki onde cerca de 80 mil pessoas morreram em Nagasaki por conta do ataque e em Hiroshima, onde o número de mortos chegou a cerca de 140 mil, realizado pelos Estados Unidos.

O lançamento da bomba atômica em Hiroshima e Nagasaki completou 65 anos. O ataque americano devastou as cidades japonesas. Eram 8:15 da manhã e é um dia de lembrar de um dos episódios mais trágicos da história, o primeiro ataque atômico do mundo.

O Japão, foi o único país a ter sido bombardeado em duas ocasiões com armas nucleares – em 6 de agosto de 1945 em Hiroshima e em 9 de agosto de 1945 em Nagasaki na qual milhares de civis foram literalmente pulverizados.

“Little Boy”, apelido dado pelos soldados americanos à bomba de urânio de quatro toneladas jogada sobre Hiroshima, explodiu a várias dezenas de metros do solo com uma luz cegante, desprendendo uma onda expansiva e um calor de vários milhares de graus que reduziu todos os seres vivos ao estado de cinzas num raio de várias centenas de metros.

Nos como educadores não podemos deixar de falar e comentar com os nossos alunos a importancia da luta contra as armas nucleares e s destruição de todas elas do planeta. Uma sugestão é passar aos alunos o documentário exibido pelo canal de TV paga HBO intitulado Clarão / Chuva Negra: A Destruição de Hiroshima e Nagasaki (White Light/Black Rain: The Destruction of Hiroshima and Nagasaki) (aqui para baixar o filme com legendas ou aqui em torrent) .

A sinopse do filme conta que em 6 de agosto de 1945, duas bombas atômicas vaporizaram 210.000 pessoas em Hiroshima e Nagasaki. Aquelas que sobreviveram são chamadas “hibakusha” – pessoas expostas à bomba – estima-se que cerca de 200.000 ainda estejam vivas. Hoje, com a ameaça real de armas de destruição em massa – o arsenal mundial é capaz de repetir a destruição de Hiroshima mais de 400.000 vezes. O cineasta vencedor do Oscar, Steven Okazaki, revisita os locais dos bombardeios e compartilha as histórias das únicas pessoas que sobreviveram a um ataque nuclear. O filme recebeu os prêmios de vencedor do Emmy 2008; indicado em Sundance e ao prêmio do Sindicato dos Produtores.

Devemos sempre nos fazer a pergunta que Tsutomu Yamaguchi, único sobrevivente oficialmente reconhecido das bombas atômicas que devastaram Hiroshima e Nagasaki, no fim da Segunda Guerra Mundial fez a James Cameron e ao autor norte-americano Charles Pellegrino, que está trabalhando em um livro sobre os sobreviventes da bomba de Hiroshima, disse que Yamaguchi desejava que Cameron passasse adiante, por meio de um filme, a história de sua vida.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=QC3Evh20rgU&hl=pt_BR&fs=1]

Yamaguchi segurou a mão dos dois e disse: “Que benefício a bomba atômica trouxe? Eu quero passar o bastão a vocês, para que vocês possam passá-lo para todas as outras pessoas.

Yamaguchi morreu aos 93 anos, devido a complicações de um câncer de estômago, efeito colateral da bomba atômica.

Que possamos ensinar aos nossos alunos que nada justifica uma guerra ou a destruição de uma bomba atômica. Que a PAZ seja sempre cultivada nos corações dos homens e que o dialogo permeie todos os conflitos no mundo.

Abraços e PAZ a todos

Equipe NTE Itaperuna

Uma viagem visual e sonora

Olá Amigos

Essa dica de hoje é pára os amantes de um bom filme e de uma maravilhosa trilha sonora. A dica é o filme “Naqoyqatsi – O Mundo em Guerra”, que para os fãs de cinema é uma viagem auditiva e visual, que será exibido pela primeira vez no Brasil.

O canal de assinatura da HBO é quem nos trará esse belo presente nesta quinta feira (27/8). “Naqoyqatsi – O Mundo em Guerra” é o terceiro filme da trilogia dirigida pelo documentarista Godfrey Reggio e que foi iniciada com “Koyaanisqatsi – Uma Vida Fora de Equilíbrio ” nos anos 80 e seguida por “Powaqqatsi – Vida em Transformação” nos 90, todos igualmente maravilhosos.

Nesta nova produção, imagens digitalmente modificadas se fundem com a música de Philip Glass num estimulante documentário sobre a globalizada e violenta sociedade contemporânea, em que a tecnologia alterou de todas as formas possíveis a experiência humana.

No elenco do longa-metragem, Marlon Brando, Elton John, Julia Louis-Dreyfus, Bhagwan Mirchandani e Steven Soderbergh, que fazem depoimentos e lêem textos que pontuam as impressionantes imagens.

Eu assisti as versões “alternativas” dos filmes e fiquei simplesmente maravilhado e impactado com o que vi e ouvi. Os filmes são maravilhosos!!! Mas especialmente com o filme “Naqoyqatsi – O Mundo em Guerra”, pela atualidade e modernidade do tema. Para ilustrar o que eu disse olhe o que cita o Nivaldo Ribeiro: “Naqoyqatsi” é uma experiência e além de qualquer palavra que mescla a força das imagens com a música e atinge em cheio o coração hiperacelerado da aldeia global digitalizada do século XXI. Ao misturar imagens cotidianas alteradas através de efeitos digitais de última geração, o documentário hipnotiza o espectador que, mesmo sem querer, se deixa levar pela sonoridade de Philip Glass.

Como todos sabem adoro filmes com mensagens não verbais, e apesar da natureza não verbal do filme, o grande lance em “Naqoyqatsi – O Mundo em Guerra”, é fazer com que as pessoas falem a respeito de como a tecnologia afeta nosso dia-a-dia, alterando as formas de mídia, arte, entretenimento, política, esportes, medicina, ética e a cara da natureza humana. É um absurdo de bom, aínda mais se o som for Dolby digital…

Recomendo ver a Trilogia Qatsi, alugar, comprar pois os filmes são daquelas experiências imperdíveis da vida. Nesta mesma linha de filme Baraka (indicação do Paulo Bicarato do Alfarrábio) é outra viagem maravilhosa. Essa dica vai especialmente para os queridos amigos Sérgio Lima e José Roig.

Recomendo

Abraços

Equipe NTE Itaperuna