We All Want to Be Young – Um filme que vai fazer você entender a Geração Y

Olá Amigos

Relaxe, se esparrame na poltrona e separe 10 minutos do seu tempo para assistir o melhor filme sobre a Geração Y. Segundo o que apurei na web, o filme  ‘We All Want to Be Young‘ foi realizado pela BOX1824, uma empresa brasileira especializada em pesquisas. É um filme apaixonado sobre a nova geração. Emociona mesmo. Imperdível do início ao fim. Entenda o período em que vivemos através da geração Y.

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=ZidBmzFFSyk]

O filme ‘We All Want to Be Young‘ é o resultado de diversos estudos realizados pela BOX1824 nos últimos 5 anos. A BOX1824 é uma empresa de pesquisa especializada em tendências de comportamento e consumo. Este filme possui licença aberta pelo Creative Commons. O Filme tem roteiro e a direção de Lena Maciel, Lucas Liedke e Rony Rodrigues. Que teve a participação da Zeppelin Filmes.Esse vídeo foi uma indicação da Revista Bula (@revistabula) pelo twitter.

Raphael Primos que é jornalista, editor do Conexão Mercado e atua há três anos na área de Comunicação da TeleListas, escreveu em sua resenha: 

“Em uma entrevista 1977 Clarice Lispector disse que todo adulto é solitário, mas outra coisa comum entre os adultos é tentar entender os jovens de sua época, pois somente compreendendo esse grupo é possível desvendar os fenômenos que acontecem em um período. E em qual era vivemos? Quem somos? Bombardeados por informações, maniqueístas do pluralismo e individualidade. Moldados por uma sociedade de consumo que nos educa para sermos globais e homogêneos. Como gritamos e mostramos ao mundo nossas individualidades?

Antes de pertencermos ao mundo ou a qualquer grupo, somos escravos desse universo infinito e incompreendido, nós mesmos. Provavelmente se você é da Geração Y, já viu esse vídeo, que é tão last season (como dizem).Estou fascinado e sinto que começamos a entender o período pelo qual estamos passando e para quais transformações temos passado. Caos? Ansiedade crônica? Tire suas próprias conclusões.”

Depois de ver o vídeo, recomendo que você leia Stuart Hall – “Identidades Culturais na Pós-modernidade”

O filme termina com uma frase mágica: “Entender a evolução do mundo é uma busca que pode nos manter jovens para sempre”.  Acho que é por isso que eu adoro ser professor estar perto dos jovens me faz reviver o que tenho de melhor em mim.

Abraços

Robson Freire

Reciclar sonhos conscientemente


Olá Amigos

Hoje acordei já pensando nas tantas e simples coisas que preciso pro café da manha e acabei me assustando ao perceber que a lista era bem maior do que eu precisava.
Pensei nos anos, dias e meses da minha jornada, afinal, não é todo dia que se faz aniversário.
Percebi que a lista era materialista demais, então …

rasguei tudo, …
deletei e repensei

Olhei minha filha,
Olhei minha mulher,
Lembrei dos amigos,
Então refiz a lista
Escrevi três letras

Pão

E de uma forma que não posso transcrever devido a dimensão, pão me foi suficiente pra sair e ir ao mercado. Claro que acabei me perdendo diante das trocentas opções e acabei levando mais que previ, mas de forma consciente paguei pelo que escolhi. Não para mostrar a ninguém nada de nada.

Eu sou a prova de que posso tudo, mas nem tudo convém. Com esse olhar comecei a observar as pessoas no mercado, e tudo me parecia a própria torre de Babel, então me senti livre.
Eu sabia que tinha um caminho, mas acabei com produtos a mais, mas me impressionou a forma como a falsa ideologia de consumismo absorve, entranha e nos faz diferentes.
Então me apeguei novamente a lista.

Pão

Tentei voltar a ela e me desfiz de alguns produtos. É preciso repensar nossa postura sempre e repetidamente para que a lógica de funcionamento da mudança de que tanto falamos, mas pouco (confesso) praticamos seja real.
Não vou negar que sai com mais produtos que o necessário, mas saí com a mente aberta pra uma nova proposta de postura urgente e necessária, e por que não, global?

O consumo consciente ou sustentável é um conceito bem mais aberto, que hoje está além da direção da economia, dos direitos do consumidor e da reciclagem de lixo. Não é uma postura reativa, mas leva o consumidor a se identificar como um protagonista dentro desse amplo contexto social, político e cultural.

Mas temos que muda-lo.

Percebi que é primordial um consumo consciente , sustentável, que embora voltado para o campo econômico, deve se perfazer numa postura delicada de cada um de nós. Não bastam os direitos do consumidor, nem as tantas leis, basta olhar a Ana , a Larissa, e perceber que os gestos simples ao longo dos dias são essenciais pra formar uma nova postura dessa galerinha que vem e que já vê na reciclagem um instrumento para a conservação do universo, ou ao menos
da Terra, planeta água.

Somos protagonistas de nossas histórias e que tal pararmos um pouquinho e fazer aos poucos
pequenos gestos em prol de um mundo sustentável?

Participem da blogagem coletiva sobre Consumo Consciente para discutirmos e divulgarmos ações que levem a um cotidiano de consumo sustentável.

Abraços

Equipe NTE Itaperuna

>Reciclar sonhos conscientemente

>
Olá Amigos

Hoje acordei já pensando nas tantas e simples coisas que preciso pro café da manha e acabei me assustando ao perceber que a lista era bem maior do que eu precisava.
Pensei nos anos, dias e meses da minha jornada, afinal, não é todo dia que se faz aniversário.
Percebi que a lista era materialista demais, então …

rasguei tudo, …
deletei e repensei

Olhei minha filha,
Olhei minha mulher,
Lembrei dos amigos,
Então refiz a lista
Escrevi três letras

Pão

E de uma forma que não posso transcrever devido a dimensão, pão me foi suficiente pra sair e ir ao mercado. Claro que acabei me perdendo diante das trocentas opções e acabei levando mais que previ, mas de forma consciente paguei pelo que escolhi. Não para mostrar a ninguém nada de nada.

Eu sou a prova de que posso tudo, mas nem tudo convém. Com esse olhar comecei a observar as pessoas no mercado, e tudo me parecia a própria torre de Babel, então me senti livre.
Eu sabia que tinha um caminho, mas acabei com produtos a mais, mas me impressionou a forma como a falsa ideologia de consumismo absorve, entranha e nos faz diferentes.
Então me apeguei novamente a lista.

Pão

Tentei voltar a ela e me desfiz de alguns produtos. É preciso repensar nossa postura sempre e repetidamente para que a lógica de funcionamento da mudança de que tanto falamos, mas pouco (confesso) praticamos seja real.
Não vou negar que sai com mais produtos que o necessário, mas saí com a mente aberta pra uma nova proposta de postura urgente e necessária, e por que não, global?

O consumo consciente ou sustentável é um conceito bem mais aberto, que hoje está além da direção da economia, dos direitos do consumidor e da reciclagem de lixo. Não é uma postura reativa, mas leva o consumidor a se identificar como um protagonista dentro desse amplo contexto social, político e cultural.

Mas temos que muda-lo.

Percebi que é primordial um consumo consciente , sustentável, que embora voltado para o campo econômico, deve se perfazer numa postura delicada de cada um de nós. Não bastam os direitos do consumidor, nem as tantas leis, basta olhar a Ana , a Larissa, e perceber que os gestos simples ao longo dos dias são essenciais pra formar uma nova postura dessa galerinha que vem e que já vê na reciclagem um instrumento para a conservação do universo, ou ao menos
da Terra, planeta água.

Somos protagonistas de nossas histórias e que tal pararmos um pouquinho e fazer aos poucos
pequenos gestos em prol de um mundo sustentável?

Participem da blogagem coletiva sobre Consumo Consciente para discutirmos e divulgarmos ações que levem a um cotidiano de consumo sustentável.

Abraços

Equipe NTE Itaperuna

Watch-it

Olá Amigos

Encontrei esse vídeo intitulado Gone no blog My Latest Piece do Zeke Shore de quem tomei a liberdade de usar o mesmo título dessa postagem. Um filme feito na técnica de stop motion, com um projeto escrito, dirigido, animados e pontuado pelo próprio Zeke Shore. Ao assistir fiquei completamente estarrecido com a proposta do vídeo e a sua profundidade. Simplesmente demais.

Me lembrou umas pessoas que eu conheço que vivem exatamente dentro da proposta do vídeo. O que ainda me espanta e o poder que a mídia (TV) tem sobre as pessoas e suas influências (nem sempre boas) dentro do contexto comportamental. Agora me conta uma coisa:

Gostou?

Não Gostou?

Então diga alguma coisa.

Comente!

Abraços

Equipe NTE Itaperuna